Menu fechado

Comendadores Jantando

Comendadores Jantando

A Frei Benevenuto Santa Cruz

 

Assentados, mais fundo que sentados

eles sentam sobre as supercadeiras:

cadeiras com patas, mais que pernas,

e de pau-d’aço, um que não manqueja.

Se assentam tão fundo e fundadamente

que mais do que sentados em cadeiras,

eles parecem assentados, com cimento,

sobre as fundações das próprias igrejas.

 

2

 

Assentados fundo ou fundassentados,

à prova de qualquer abalo e falência,

se centram no problema circunscrito

que o prato de cada um lhe apresenta;

se centram atentos na questão prato,

atenção ao mesmo tempo acesa e cega,

tão em ponta que o talher se contagia

e que a prata inemocional se retesa.

Então, fazem lembrar os do anatomista

o método e os modos deles nessa mesa:

contudo, eles consomem o que dissecam

(daí se aguçarem em ponta, em vespa);

o prato deu soluções, não problemas,

e tanta atenção só visa a evitar perdas:

no consumir das questões pré-cozidas

que demandam das cozinhas e igrejas.

 

João Cabral de Melo Neto

 

 

 

Marly de Oliveira afirma que os poemas de João Cabral apresentam o número quatro e seus múltiplos, de forma consciente significando o racional, o que tem equilíbrio, sem levar em conta que, para os antigos, o quatro simbolizava as partes, as qualidades e os aspectos do um ou do Deus.   Por ele ter dificuldade em aceitar uma existência ligada à transcendência, o quatro em sua poesia representa o estável e o estático.

“Comendadores Jantando” é composto de vinte e quatro versos, divididos em duas estrofes e para uma melhor compreensão vamos dividi-lo em partes. A primeira parte (verso 1 ao 10) apresenta alguns conceitos a partir de dois radicais:

sent e fund.

 

Assentados      fundo     sentados

sentam

 

assentam     fundo   fundadamente

sentados

assentados

fundações

 

 

2

 

Assentados fundo    fundassentados

 

 

Sabemos que Cabral menospreza a espontaneidade, nega a inspiração e repudia a musicalidade. Ele prefere o “canto a palo seco”. Portanto, a assonância do ‘s’ e do ‘n’ presente no poema não explora nenhum tipo de música, mas introduz o campo semântico de assentado.

Os vocábulos assentado, sentado e fundo, se isolados, possuem significados singulares, mas correlacionados dão uma idéia de firmeza, fixidez, rigidez, que é intensificada pela presença de outros componentes, como “pau-d’aço,” “com cimento” e outros.

Num processo posterior, na síntese desses vocábulos através da aglutinação em fundassentados, todos os sentidos anteriores se convergem a um outro sentido muito além, a uma imagem para-semântica. Fundassentado é uma metáfora estrutural porque aponta para um significado meta-semântico. Essa única palavra “chega a ponto de conter todo um cosmo metafórico”. (1)

Essa imagem para-semântica de fundassentado é terra como o índice de um lugar no espaço onde se assentam fundações, onde se instaura e se exerce o poder. Percebemos isso com a presença do signo supercadeiras que cria a ideologia trono, que é a substância concreta do poder.

Os versos

 

“eles parecem assentados com cimento,

sobre as fundações das próprias igrejas.”

 

levam-nos a uma associação de igrejas à terra devido à presença do componente fundações – é na terra que elas, as fundações (igrejas), são assentadas.

 

 

A segunda parte do poema (verso 11 ao 24) estrutura-se num campo semântico ligado à ceia, paralelo a cozinhas :

 

2

 

prato

prato

 

talher

prata

mesa

 

prato

 

pré-cozidas

cozinhas

 

Se observarmos, nesse campo semântico também depreende-se a idéia de terra como índice do espaço de nutrição, o lugar onde os alimentos são possíveis.

O verso

“o método e os modos deles nessa mesa”

 

permite uma analogia entre o ato de comer e a forma de o poder ser exercido.

Vamos reler os seguintes versos:

 

“à prova de qualquer abalo e falência,

no consumir das questões pré-cozidas

que demandam das cozinhas e igrejas.”

 

O signo cozinhas, inserido no contexto do ato da ceia e justaposto ao signo igrejas, leva-nos a uma imagem muito além de seu conceito, inferindo uma idéia de família, que é o reflexo de toda uma ação de poder.

Há várias imagens que podemos visualizar:

 

Cristianismo                     Latifúndio                                 Poder

|                              /           \                                      |

Igrejas                  Terra             Propriedade           Comendadores

 

 

Ceia                                   Terra                                     Trono

/      \                                 /       \                                    /       \

Igreja        Cozinha      Propriedade         Igreja        Supercadeiras         Igreja

 

 

Sabemos que a metapoesia de João Cabral usa a palavra concreta, foge do conceito transformado em imagem, prefere o símile à metáfora e busca a forma perfeita. Sabemos também que sua obra reflete um ser inserido e participativo de todos os ideais que perpassam o humano.

“Comendadores jantando” pertence à NORDESTE B, do livro EDUCAÇÃO PELA PEDRA, e nele podemos constatar a preocupação do autor pelo social. Esse poema é uma síntese-crítica ao poder. Na primeira parte vemos como o poder se instaura ( fundassentados ); na segunda, como esse poder é exercido ( no modo de comer)  e o reflexo de sua atuação na família ( cozinhas ), que sempre esteve presente de forma submissa e passiva.

 

(1) (Haroldo de Campos, A Obra Aberta)