Aládia Pereira de Almeida

Biografia:

Nasceu em 07/11/36 e faleceu em 09/12/2003 em Petrópolis. Foi secretária, taquigrafa, revisora de jornal. Escreveu sonetos, contos e crônicas. Titular da Academia Brasileira de Poesia, onde ocupou a cadeira 19, patrono Ernesto Tornaghi, e da Academia Petropolitana de Letras, onde ocupou a cadeira 16, patrono Sylvio Romero. Hoje é patrono da categoria feminina dos membros correspondentes. Bibliografia: Sonhos Azuis – sonetos, 1970: Brumas da Tarde – sonetos, 1980: Sereno Crepúsculo – sonetos, 1995; O Canto da Cambaxirra – crônicas e poemas, 1997 e É Noite Afinal – obra póstuma, sonetos, 2004.

Trabalhos:

APÊLO

Quando eu deixar o mundo tão malvado,
para habitar, por fim, a lousa fria,
nessa hora de tristeza e de agonia
eu peço que tu fiques ao meu lado.

Não quero que tu chores nesse dia,
lembrando o nosso amor tão mal fadado,
preciso recordar todo o passado,
e partir com suspiros de alegria.

Depois que eu repousar no meu abrigo,
não me deixes ali abandonada,
quero a visita de teu vulto amigo.

Se na vida, de ti, fui separada,
quero na morte reviver contigo,
toda a ventura que nos foi negada.