Cadeira 09 – Leandro Rodrigues

Cadeira 09 – Leandro Rodrigues | Patrono: Arthur Barbosa

 

Biografia:

Leandro Antônio Rodrigues nasceu em Petrópolis no dia 28 de outubro de 1979. Graduou-se em Letras (Língua Portuguesa e Literatura), em 2001, pela Universidade Católica de Petrópolis. Fez pós-graduação em Literatura Infanto-Juvenil, em 2005, pela UFRJ. Em 2008, concluiu o Mestrado em Educação, pela Universidade Católica de Petrópolis, com ênfase na Formação do Leitor.
Como ator, participou do extinto grupo de teatro: “Sem Abelhinhas”, com o qual encenou, entre outras peças: “Tribunal dos Divórcios” (Cervantes) e “O Auto da Barca do Inferno” (Gil Vicente). Em seguida, fundou, dirigiu e atuou “A Companhia de Teatro Amador: Javé-Nessi”, com a qual encenou bastantes peças (cujos textos, sempre, forma assinados por ele próprio) pela cidade de Petrópolis.
Entre os anos de 1997 e 2000, escreveu, mensalmente, artigos em jornais católicos como o Kyrios, da Paróquia Nossa Senhora do Amor Divino, em Corrêas; e, o Paz, da Paróquia Santo Antônio e Santo Agostinho, em Nogueira. No mesmo período, colaborou com o Informativo do Curso de Letras da UCP.
Atualmente, é professor do Ensino Médio da Rede Estadual de Ensino, mais precisamente no Colégio Estadual Embaixador José Bonifácio em Pedro do Rio, onde ministra as aulas de Língua Portuguesa e de Literatura. Na rede particular, também trabalho com o Ensino Médio, no Seminário e Educandário Nossa Senhora do Amor Divino em Corrêas, onde ministra as aulas de Língua Portuguesa, de Literatura e de Redação. Acumulando ainda, nesta instituição, o cargo de Coordenador Pedagógico de Ensino. No ensino superior, é professor Língua Portuguesa da Faculdade de Filosofia do Seminário e Educandário Nossa Senhora do Amor Di vino, em Corrêas. Também, no Ensino Superior, é professor da Universidade Católica de Petrópolis, onde ministra as aulas de: Linguagem e Redação, no curso de Filosofia; e, no curso de Letras, Literatura Infanto-Juvenil, Língua Portuguesa III, IV, V, VI, VII e VIII, acumulando, ainda, a função de Coordenador do Curso.

Trabalhos:

OBRAS PRONTAS – AINDA NÃO PUBLICADAS

1- Prosa despreocupada (livro de contos e crônicas) + O Apaixonado (poemas) = 100 páginas;
2- Da Criatura ao Criador (poemas) = 97 páginas;
3- À Amiga do Carinho (poemas) = 123 páginas;
4- Princípio (poemas) = 114 páginas;
5- Letras do Peito (poemas) = 110 páginas;
6- Cotidiano (poemas) = 113 páginas;
7- Refém (poemas) = 109 páginas;
8- Alma Sedenta (poemas) = 116 páginas;
9 – Deslumbramento (poemas) = 114 páginas;
10- Incessante Busca (poemas) = 111 páginas;
11- Afinação (poemas) = 111 páginas;
12- Grito Contrito (poemas) = 115 páginas;
13- Aprendiz (poemas) = 121 páginas;
14- Javé-Nessi (teatro) = 100 páginas;

A Atividade do Poema

Buscar sem alcançar êxito.
Querer, mesmo sem ter consciência.
Admirar o que está oculto.
Assim vive o poeta
No limiar absoluto da composição.

Estudar para sempre aprender.
Ouvir para sempre entender.
Observar para começar a crescer.

Assim pode ser o poema,
Resto de toco perdido no nada
Ou princípio de ouro
Avaliado por todos.

Enquanto a escuridão traz o medo,
Proliferado pelo próprio medo ou pela coragem
De alguém, ainda, desconhecido,
O poema se reescreve a cada novo dia
Com a tinta do suor humano
E com a folha das sensações.

Petrópolis, 13 de janeiro de 2005. – nº 1331.