Sylvio Adalberto

Biografia: 

Petropolitano, poeta e contista, ex-Presidente da Academia Brasileira de Poesia; Membro Titular da Cadeira 8 da Academia Petropolitana de Letras. Faz parte do conselho editorial do jornal Poiésis – Literatura, Pensamento & Arte. Por muitos anos colaborou na imprensa petropolitana. Autor do livro Silêncio Alucinado agraciado com o prêmio Carauta de Souza da Academia Petropolitana de Letras, 1993. E-mail: sylvioadalberto@hotmail.com

Trabalhos:

Poemínimos

Só a poesia
Permite que o homem seja livre.
Depois que descobriram isso
Os homens viraram poetas.
E há cada vez mais poetas
Novos alquimistas
De um mundo sem esperança
_________________________
Puxa, como a vida é curta!
Quando percebi
Já eram sessenta anos.
_________________________
Logo eu,
Que nunca morri de amor!
Mas me esvai por ele
Como se fosse a suprema glória
___________________
Meu coração
Louco e fundo
Não comporta minhas dores
Mas canta os males do mundo.
________________________
Por toda a vida
É pouco!
Quero mais tempo
Para viver um grande amor!

Ontem sobrou
O que me lembro hoje,
Para viver o amanhã.
Não existe o agora
Nem ontem, nem hoje
Nem amanhã.
Agora, eu sou!
________________________
Sylvio Adalberto