André Freire

Sócio Correspondente 1097
Lamego – Portugal

Biografia:

30 de março de 2007: posse como Correspondente Internacional em Portugal da Academia Friburguense de Letras;
4 de setembro, Título de Cidadão Carioca outorgado pela C.M.RJ.
lançamento em Maceió das antologias Poesia Alagoana e Contos Alagoanos, por carlito P. Lima, na qual estou incluído com 3 poemas e 1 conto.

alcfreire@gmail.com

Trabalhos:

Botafogo Futebol e Regatas, Rio, Brasil, 2006

Glorioso campeão no país do futebol

O sistema Internet a potencializar a minha agonia
de entender tudo com atraso.
Comentários, textos e imagens em eterno descompasso
Sofro, pois, a cada minuto
A “assistir” minha equipa jogar no Rio de Janeiro.
Botafogo 0 x 0 Madureira
Botafogo 1 x 0…
Botafogo 2 x 0…
2 x 1…
Botafogo 3 X 1, acabou!
É campeão!

È complicado, quase torturante,
torcer sozinho, ansioso e mudo
neste quarto lamecense
a muitas léguas do Estádio do Maracanã.

Não posso gritar!
É prudente manter a janela fechada
Quem entenderia?
Ah! Glorioso Botafogo
da Estrela Solitária:
mais uma conquista.

Manequinho: faça xixi!
Deuses do futebol: obrigado!
Heleno de Freitas, Nilton Santos, Didi e Garrinha:
(para citar alguns grandes nomes do passado)
a festa é, também,
uma justa homenagem a vocês.

Os versos da América Maior

(Menção Honrosa, Concurso aBrace, Uruguai)

Nesta América Maior
Que ainda é nossa
Há uma gente sutil….
Sofrida e carente
Sonhadora e amorosa.

Nesta América de Deus
Que ainda é nossa
Há uma gente mágica…
Milhões de iguais
Perversamente desiguais.

Nesta benigna América
A união das línguas e dos povos
Edificou o amor…
Sentimento tão desprezado
Na globalização da miséria.

Nesta Catedral de Montevidéu
200 anos de sinos e rezas
Atravessam a História…
E o Cabildo simboliza a beleza
Da inebriante liberdade.

Uvas e Pedras

Para Pero Francisco, Teresa e João Pedro
Quinta da Padrela, Tabuaço

O xisto, as vinhas,
um saboroso petróleo
tinto, branco e rose.
É o sangue de Portugal
Que nasce e brota
aqui nas terras do Douro
neste verão abrasador da vida e das uvas
mas sem a cana-de-açúcar
do meu nordeste brasileiro.
Um verão que aquece
os homens e as pedras
a transformar o Douro
na favela da Mangueira:
“um sobe e desce constante”
nos emblemáticos socalcos
durante a tradicional
e comunitária vindima.

Aqui no Douro – salve o Marquês de Pombal –
Nasce um vinho único chamado Portugal!

Dia internacional da mulher e Mercedes Sosa

André Freire- ABP/ Portugal)

A Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) decretou em em 1975 o dia 8 de Março como “Dia Internacional da Mulher”. Homenagem merecida e necessária.

Para todas as mulheres do Mundo gostaria de oferecer este poema, feito em homenagem a grande mulher argentina Mercedes Sosa.

“Mercedes Sosa”
Jamais esquecerei:
Mercedes Sosa, 1982.
no Rio de Janeiro!
Nenhuma foto, quem irá acreditar?
Ao final da Apresentação,
fui ao camarim da Grande Senhora
(antigo Teatro do Hotel Nacional, em São Conrado)
e ficamos, eu, ela, o excepcional Emílio Santiago
e, lembro agora, uma valiosa testemunha,
meu primo Luizinho
que se limitou a ficar de boca aberta
tamanha a emoção.
Linda imagem de mulher guerreira.
Linda voz de contralto.
Lindo e desassombrado repertório:
Canciones con Fundamento
Cantata Sudamericana
Mujeres Argentinas
Tributo à Violeta Parra…
Carismática,
a lutar por sua Argentina violentada
torturada e semi-destruída.
E, a partir daí,
a lutar pela América Latina
e pelo Mundo afora
por uma vida melhor, mais justa
para todos nós, mas, especialmente,
para “os esmagados da Terra”.
Luta desigual já se vê
Onde o amor fraterno puro,
pequeno e frágil (aparentemente),
confrontava-se com o poderoso
Dragão da Maldade.
Mercedes Sosa
Uma voz chamada Argentina!
Uma voz chamada Coragem!
Ma voz chamada Liberdade!
Nenhuma foto, é verdade
Mas, e esse autógrafo
que mandei emoldurar
e coloquei no melhor espaço de minha sala?