Célia Lamounier

Sócia Correspondente 414
Itapecerica – MG – Brasil

Biografia:

Se estou viva, minha missão não terminou. Não se pode parar. A vida é um caminho de dúvidas e dádivas em busca da imortalidade. Lembrar, em meio às ondas de nosso mar, que os frutos de Deus nascem todos os dias e as gotas de água descem do céu. Viver é agir trocando “favores” alegremente… E ser feliz é uma possibilidade nossa, podemos construir uma vida sadia, temos o privilégio de ir e vir, de cantar e sorrir”
Nascida em Itapecerica MG dia 19.7.43
Advogada, divorciada, aposentada TCE/MG, escritora
Presidente Academia Itapecericana de Letras e Cultura
Academia de Letras de Ipatinga – UBT Vale do Aço
SÓCIA da Academia Municipalista de Letras de MG
Instituto Histórico e Geográfico de MG – IHGMG
Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil – AJEB
Rebra – ACLCL – Avbl – CEN – Academia Petropolitana de Poesia RL (e +várias outras)
Ver poesias em sites www.notivaga.com
http://celialamounier.portalcen.org
www.portalcen.org
www.sonetos.rg3.net
www.mineiros-uai.com.br
www.avbl.com.br – livro virtual – ensaios
www.secrel.com.br/poesia
www.blocosonline.com.br/literatura
http://planeta.terra.com.br/arte/ateneu
www.geocities.com/~rebra/autores/622port.html
www.itapecericamg.cjb.net – (retratos da cidade)

Trabalhos:

História de Bárbara Heliodora

Mulher tão linda, formas comedidas
no rosto a calma e a serenidade
nos olhos brilho, fulgor sem medidas
mulher de ontem e hoje, sem idade
Tu és Bárbara Eliodora (a mais bela flor).

Mulher amada em versos de ternura
que em tempos idos de Brasil colônia
uma princesa teve após a jura
de amor do vate, destronando Jônia
Tu és Bárbara Eliodora (a evoluída e pura).

Mulher de fibra, inteligente e culta
ama em versos, desdenha a covardia
na nossa história já seu nome avulta
por “liberdade ainda que tardia”
Tu és Bárbara Eliodora (raio de alegria).

Mulher que é mãe, e é mãe por 4 vezes
a pena deixa mas de pé enfrenta
o vacilante esposo que os reveses
da traição lhe trazem morte lenta
Tu és Bárbara Eliodora (a fiel e forte).

Mulher sofrida, triste, abandonada
pelos amigos da riqueza de antes
empurra as horas, busca a retomada
cambaleando em águas ondeantes
Tu és Bárbara Eliodora (a varonil).

Mulher imersa em ondas de loucura
a princesinha que cedo partiu
o esposo morto após longa tortura
o ouro, o rei, a rua a rir fugiu
Tu és Bárbara Eliodora (que não mais sorriu).

Mulher supera as mil vicissitudes
e ei-la poeta, avó já de dois netos,
a escrever “Conselhos” de atitudes
ensinando a trilhar caminhos retos
Tu és Bárbara Eliodora (a poeta).

Mulher que em vida soube amar a Deus
levada à cripta foi por nove padres
cantada pelos descendentes seus
bendito exemplo de vigor às madres
Tu és Bárbara Eliodora (a irmã no céu).

Tu… tu és Bárbara Eliodora
dos professores eleita patrona
mulher protótipo de ontem, de agora,
exemplo de perfeita Sinhá Dona
Tu és Bárbara Eliodora (mulher brasileira).

******
Nota:
A assinatura de Bárbara era sem o “h”:
Eliodora, conforme documentos por mim
pesquisados em 1984 quando
tomei posse na Academia Feminina Mineira de Letras.

Auroras e Alegrias

Não me espere, amor,
venha buscar-me
pois que a aurora em breve
pode se acabar.
A vida é curta
e eu estou sozinha
cansada de sonhar.

Não me espere, amor,
venha acordar-me
quero correr na areia
viva e solta
o céu alcançar
em suas mãos, rejuvenescida
por seu olhar.

Não me espere, amor,
venha depressa
viver comigo as noites
madrugadas e dias
pois que o nosso tempo
deve ser vivido
feito de alegrias.

Soneto ao sorriso

(Célia Lamounier de Araújo)

Em prosa e verso cante a nossa vida
e apenas cante o tempo da alegria
no sorriso que nasce e desafia
pois a tristeza leve de vencida.

Sorrindo sempre, eis a contrapartida
para enfrentar a triste dor vazia
de algum momento raro, em certo dia,
de solidão, partida ou despedida.

Se a nuvem traz beleza ao céu de anil
traçando formas e figuras mil…
a nossa vida, de sorrisos feita,

Vai ser assim traçada sutilmente
por nuvens de alegria, ternamente
cantando a vida, música perfeita.