Kênia Bastos

Sócia Correspondente 1108
Campos dos Goytacazes – RJ – Brasil

Biografia:

Kênia Soares Bastos de Sousa, mais conhecida entre poetas e escritores como Kênia Bastos, nasceu em Campos dos Goytacazes, no estado do Rio de Janeiro. Com formação em educação, atua na área administrativa. Expõe seu lado criativo através de textos e poemas, aliados a arte digital. Consciente de ser uma aluna da vida, busca através do estudo evoluir seu lado artístico aprofundando-se, como autodidata, nos temas a que se propõe. Seus esforços começam a ser reconhecidos e tem atraído atenção de amigos e admiradores por seus trabalhos. Em função disto foi convidada a fazer o prefácio de dois livros de poesia e a participar de sites importantes da literatura na Internet.
Kênia, além de seu talento, nos oferta seu lado humano, generoso, entusiasta e belo, o que é raro nos dias de hoje, e com isto nos mostra que a arte deve sempre ser aliada do bem, para ser verdadeira. Seu amor à palavra-viva se mostra neste trecho de sua prosa: “É através do olhar das palavras, da possibilidade de escutar o mundo e captar suas flores, onde moldo meus sentidos e me completo.”
Kênia Bastos edita seu blog no endereço http://kenyabastos.blogspot.com/
e pode ser encontrada nos seguintes sites:
Academia Brasileira de Poesia, Alma de Poeta, Comunidade Kênia Bastos/Orkut, Poetas del Mundo, Poesiarte, Recanto das Letras, Usina das Palavras e Usina de Letras.
Muito do potencial desta artista ainda está para ser mostrado. Guardem este nome, Kênia Bastos, e esperem surpresas.

“Nada é mais prazeroso do que galgar caminhos que conduzam a uma evolução sólida do nosso interior…”(KB)

Trabalhos

Me vi te vendo

O pranto expressivo,
Palavras de descontentamento
A dor de um inoportuno momento
A explosão de tal pedido a todo tempo
Ardia em mim…

Fica comigo
Não me esquece!
Vamos tentar mais uma vez!
Trabalhar as diferenças
Usar a sensatez…

Mas me esquecer, abandonar,
Dizer um eterno adeus?
Ah! Isso por favor, Jamais…

Este adeus árduo,
Este pedido tão angustiado,
Em um tom de voz amargurado
Relatos em um bilhete
Que carregado de lágrimas
Chegava transpondo as gotas da desilusão
Fui tudo muito difícil
De vê-lo sentir então…

Compartilhando da mesma situação
Eu, muito descontente
Com minha decisão
Recorri ao travesseiro…

Também sofria da mesma dor no peito
Onde eu fui á principal responsável
De todo ato derradeiro daquela relação…

E quando tudo parecia decisivo,
Irremediável,
Fui questionável a tal decisão…

Fui administrando a tudo de perto
Cumplicidade das amarguras vividas
Aos laços do eterno…

Observei o erro do meu coração
Que ao me afastar
Do meu bem querer
De ser determinante
Em minha colocação
Conheci a face
Da minha verdadeira
Paixão…

E como alma
Que metade da sua se faz
Me vi te vendo então…

Pedido de Vida

Descaso ocasional
Falta de consciência
No âmbito florestal
Alerta de vida!

Assim a natureza implora
Aos que dela
Fazem seu Despropósito humano…

“Abram os olhos,
Entendam os sinais,
Usem a lógica…
Sejam racionais..!”
“Quero respeito
Pela minha vida!!! ”
Transfere para todos
A sua realidade árdua,
Responsabiliza cruelmente
Também a extinção
Dos fluxos das águas
E entre tantas
Outras coisas
Os maus tratos aos animais…

Assim a natureza
Faz a sua súplica
Para nós os mortais…

Árvores se despedem
Em atos irresponsáveis…
Folhas leves, Livres e verdes
Vagueiam Sem sentido pelo chão..

Os dias Cada vez mais
Encontram-se secos
E nem poderia ser diferente,
Mudanças de atitudes?
Quando seria
Tal postura dessa gente?

Só nos resta sentir
As conseqüências
Dos atos covardes
Praticados sem consciência,
Através de mãos
Que destroem
Sem ao menos
Pedir licença…

Deveríamos
Nós, os esclarecidos,
Nos unir
Em gestos e ações
Assumirmos postura firme
Fazer dissertações…

Colocar propósitos
Entre os políticos
Falar nas escolas
Ou em rodas de amigos.

Mobilizar toda nação!
Ter voz,
Buscar sensatez
Estabelecer visão
De honra E civismo infinito…

Não, a derrubada
Das matas e florestas!
Erguemos nosso olhar
Ecológico
Tenhamos atitudes
Amor e respeito
Porque a natureza grita,
Me reavivam
Eu ainda tenho jeito!

Abordemos
Com verdade
A consciência
Pela preservação…

Pense você o que poderia
Fazer para mudar esta realidade,
E procure valorizar
Cada vez mais
Os nossos raios
Fúlgidos do sol
Da liberdade.

Inexplicável sentimento

Respiro a felicidade
E enfrento as colinas do medo…

Sinto a euforia do canto
Que trafega a comunhão
De nossas ansiedades
Em meio às emoções
Que transcendem ao tempo…

Coração pulsa forte,
É magia…
Harmonia absoluta
Que traduz inúmeras rimas de amor
Em meio ao calor que trago no peito…

São suaves momentos
De muita paz
Que nascem
Dessa história
Que é vida,
Alegria intensa
E poesia infinita
Extraída de um
Inexplicável sentimento…

Aflição

Dor
Decepção
Murmúrio
Separação

Noite vazia
Holocausto
Escuridão
Sensação ruim
Naufrágio de sentidos
Temporal de dúvidas
Frustração!

Aflição é tormento
Sentimento vazio
Desatino
É invasão da solidão
É desespero
Inquietude
Dor no coração

É a perca evidente
Do controle das emoções…

Amo você

Gosto de você
Meu olhar não mente
Evidencia um Turbilhão
De sentimentos
Que é vida contínua
Entre flores e cores,
Dores e amores…

Gosto de você
Quando no silêncio
Dos canteiros matinais
Você me abraça
De forma serena
Invade-me a alma
Entrega-se
De forma plena
Aos desejos
Irracionais…

Gosto de você
Porque é encantador
O que sai das veias
De nossas loucuras,
São carícias
Que levam
A absorver
Os sentidos
Como toques,
Carinhos
Palavras no ouvido
Tudo que justifico
Quando olhando
Nos seus olhos
Eu digo
Amo você

Eu e você

Eu e você…
Ciclo de vidas diferentes,
União de razões e sentimentos
Desatino…
Amor proibido,
Libido evidente!

Eu e você…
Sentimentos tão genuínos,
E ao mesmo tempo tão enlouquecidos
Narrados na experiência
De dois sonhadores de plantão…

Ambos compartilham as emoções,
Descobrem a paixão!

Você…
Fonte inesgotável
insaciável da poesia
Méritos de um verdadeiro
Artesão da escrita…

Eu…
A Menina
A mulher
A musa
Que o inspira…

Trago em meu peito
Sentimentos de harmonia
Planos em construção
Para uma nova vida
Que ao poeta fascina…

Eu e você somos assim…
Acontecimentos enigmáticos
Encontro de almas…
Segredos…
Pecado!

A soma da união de sentimentos
Extraídos dos templos de nossos sonhos
Que a muito se encontra abandonado…

Somos razão, amor, perdão!
Emoção desmedida…
Somos grandiosas descobertas
Capítulos de uma nova história,
Quimeras de uma nova vida…

O conceito maior desta Poesia
Somos eu e você…

O perfume da alma

Renovo-me a cada amanhecer
Com lembranças serenas
Do perfume que tem
A alma dos amigos
Que valem à pena

Poetas, poetisas
E tantos outros amigos
Abrilhantam esta minha jornada
Feito brisa agradável
Que conduz um florido caminhar…

Falam desde a angustia de viver
Até a essência de amar…
E ainda voltados ao coração
Falam das mais ardentes paixões!

São amigos que semeiam
Através de suas raízes culturais
Os infinitos temas entre prosas e versos
Extraído do mundo dos intelectuais…

São ícones dos atalhos do imaginário
Prazer que transpõe individualmente
O universo do mundo literário…

São amigos perfumados de alma sim!
Na verdade olhar um poeta
É enxergar neste amigo
Um sonho almejado
Dentro de mim…

Quase tudo

Seu perfume
É energia eminente,
É sutileza
É a conseqüência
Dos seus
Traços marcantes
Envolves…

Sua presença
Inebria os meus olhos
É intensidade
É jovialidade
Formosura
Brandura
É a soma
A mistura
É miragem
É total loucura…

É sonho
É realidade
É quase tudo
Que me causa Saudade…

The end

Momentos de dor
Tristezas
Decepções…
Total desolação!

Marcam os sentimentos profundos
Desta separação…
Falta-me a luz do dia
Cadê a vida?!
Onde está a magia da alegria?!

Sinto-me como
As manhãs de inverno
Sem cor,
Úmida
Fria…

Perdi o prazer
De viver as horas…
Total nostalgia!
Uma angustia desmedida…

Tardiamente descobri
Felicidade igual
Jamais vivi
Universo que ainda não distingui…

Agora é realidade
Estamos separados!
Não da para voltar o tempo…

Resta-nos conduzir
Com sabedoria
As descobertas
Dos importantes
Sentimentos…

Foi quase um sonho perfeito
Saudade que mata
Calor que arde
Aqui dentro do peito…

Mas não adianta,
Não tem volta,
Agora eu quem fechei a porta
Vou viver do meu silêncio
Sem mistério…
Tomei a decisão
É the end eterno…