Luiz Paulo Flores

Sócio Correspondente 1101
São Vicente do Sul – RS – Brasil

Biografia:

LUIZ PAULO FLÔRES, É Advogado, Teólogo, Pós-graduando em Sociologia (Pensamento Político Brasileiro, pela UFSM (Universidade Federal de Santa Maria-RS, Acadêmico de Filosofia, pela FAPAS (Faculdade Palotina) Técnico em Contabilidade, foi vereador, atualmente é Procurador Jurídico do Município de São Vicente do Sul-RS, Presidente dos Procuradores Municipais do Rio Grande do Sul, Integra a Casa do Poeta Rio-Grandense (Capori), é Membro da Casa do Poeta Brasileiro de Praia Grande, é Membro da Sociedad del Poetas del Mundo é Detentor da “Láurea Literária Stella Brasiliense”- Brasília.

ESCREVE Crônica, Contos e Poesias desde os 12 anos de idade; foi premiado como Destaque Especial no XVII Concurso Nacional de Poesias, promovido pela Revista Brasiía (1996); Foi classificado no 2° Concurso Vargas Netto de Poesias, promovido pelo Departamento de Cultura de São Borja-RS; Destaque na categoria de Contos no X Concurso Nacional de Contos promovido pela revista Brasília (1997); Menção Honrosa no 1° Concurso Nacional Nelson Fachinelli de Efemérides, promovido pela Casa do Poeta Rio-Grandense (1999); foi premiado na Olimpíada Cultural 500 anos de Lingua Portuguesa no Brasil, promovido pelo Clube das Letras na Categoria Consagrados (Destaque Especial em 1999); 2° lugar Estadual no 2° Concurso Artístico Literário Prêmio Missões, em Roque Gonzales-RS (1999); Destaque no XX Concurso Nacional de Poesias, promovido pela Revista Brasília (2000); foi premiado no Concurso Literário “Grandes Escritores do Cone Sul”, promovido pela Editora Litteris, do Rio de Janeiro; foi Destaque Especial no III Concurso de Poesias, contos e Crônicas, promovido pela Associação Artística e Literária “A Palavra do Século XXI, de Cruz Alta-RS; Medalha de Bronze do Concurso nacional de Poesias, promovido pela Revista Brasília, Obteve Menção Honrosa no Concurso Literário de âmbito Nacional Felipe Oliveira, em Santa Maria-RS. Atualmente está preparando uma Obra Literária que será lançada em Abril de 2008.

Trabalhos

Alvorada alvoraz

Óh! triste aurora negra!
onde a truculência da guerra,
faz sucumbir inocentes…
sob o nefasto poder dos tiranos,

Óh! mundo voraz e terrível!
onde o flagelo da fome,
açoita os miseráveis,
sob o poder dos impérios.

Dentre o profundo abismo da terra,
passa o rastro da humana comédia,
onde a ganância e a vaidade,
fazem soçobrar sonhos e utopias,
ante a ignomínia da dominação.

Óh! homem, triste náufrago!
que na dor dilacerada da guerra
semeia o holocausto hediondo,
basta…basta de dantesca insanidade!
como a rosa de Hiroschima,
basta! de dor a humanidade.

Ao poeta

Poeta! em cada verso!
tens o perfume da poesia…
como invólucro da alma,
a música sublime da imortalidade.
Poeta! foste na vida
o menestrel da liberdade…
um pássaro álacre e bendito
que cantou o amor
depois vôou para a eternidade.

A palavra

A palavra inaudita,
morre nos lábios!
como um pensamento
que nunca existiu,
é como um flor
à beira de um abismo,
que nunca se abriu.