Matheus José dos Santos

Sócio Correspondente 1119
Petrópolis – RJ – Brasil

Biografia:

Matheus José(1988) Poeta e Artesão nascido na Zona da Mata Mineira(Ponte Nova) Produz artesanalmente os livretos Apologia Poética, Alcoologia Poética, Mais Um Cadim de Poesia Aí e Costelinha Com Quiabo e Poesia.Participou da OffFlip/2010 –Alem de participar de publicações e sarais de coletivos de poesia pelo Brasil. Bar do Escritor,Gambiarra Profana,Poesia Maloqueirista,Ratos diVersos,Sarau Comunitário,Literatura Suburbana etc. matheusjuze@gmail.com

Trabalhos


Esses poemas são de um metro e oitenta
de insistência
e noventa quilos de resistência
e são lavados com muita aguardente
pra que quando recitados
não tenham a vergonha e o desânimo
de percorrer do fundo da garganta
ao céu da boca e v o
a r v o
a r
sem vergonha nenhuma.

ins-PIRAÇÃO

é de pirar o cabeção,
é de pirar o coração

Só pegar o papel e caneta;
pra desabar na sua cabeça
o Planeta,
com mala e cuia.

Tem que tá ins-pirado pra suportar o Mundo,
Ins-piradíssimo.
Aliás,
A vida também é uma
res –
ex-
Piração.

O Amor tamém ins-ex pira.
Eu ins-res-ex-trans-sus-PIRO com tudo isso.

na contramãocabeçaiperna
POBRESIA

1 Mesmo que seja colocando Bombril
nessa antena .
ANTENE-SE Brasil
2 Lamber a ponta da borracha
Apagar o erro
E continuar escrevendo sua estória…
Continuar…

CANGOTE, EIS O OUTRO ENDEREÇO DO CÉU
Viajo quando dou uma fungada no seu cangote
É um passaporte é um transporte
Para um norte maravilhosamente maravilhoso.
Não é pra Casa Forte nem pra Barilloche
Existe mais que Céu na envergadura do seu cangote.
CANGOTEAR, EIS A AÇÃO DO VERBO VIAJAR

Deus Digital

Deus Liga a Cam aíbaixo
pra Ver o que Tá Rolando Aquimcima
!Na Moral
Uai cê cancelô o convite para exibição de imagem da web cam.
Tec tec aleluia

Cerveja-se

Ora Veja
Se o cidadão não
Se Cervejasse
Em suas sexta-feiríces
Em suas sabadíces
Em suas dominguices

Mais uma breja
Na mesa
cervagelar essa hot-síssima peleja
Da cabeça.

TIN TIN O sacrossanto ritual de cervejar-se

MOLECAGEM

Chão de terra batida,carícia.
Adubado com bosta de boi mijo de cachorro
Caroço e casca de manga casca e bagaço de cana
Suor de ranca
Suor de pique

Minhas hawaianas amortecidas e encardidas de disposição
são mais dois pés amarelos de terra batida e com uma vontade danada de correrandar pelo Mundo.
Mais dois pés amarelos e um coração verde.

PARATY

As ruas de pé-de-moleque
Aconchegando
Cabeça tronco membros e sentimentos de um outro moleque.
Mg

Entrei no Mundo pela Vila Oliveira
E havia um Mundo naquela Vila em Minas.

Minha Saudade tem 470,338 km²
E é cortada pelo Rio Piranga.

CACHOEIRAR

deixar a água
a pedra
a água
a pedra
a água
a pedra
a água
te limpar
te energizar
tanto dentro e tanto fora
vá cachoeirar
xuááááá xuáááá
deixar as milhões de línguas
da cachoeira te beijar.
Xuáááaá´xuáááá

Secar e cessar essa secura.
Molhar molhar e brotar.
Pra cascata
Casca fora desse forno
Isso mata
”bora pra mata.

Cachoeira, como vaza da vulva da Natureza.
Cachoeirar-se
Energia que não se consegue na Light nem nos bytes.
Cachoeirar-se
Positivahumanamente
Energizado.