Sandra de Almeida

Sócia Correspondente 1115
Jandaia do Sul – PR – Brasil

Biografia:

Antologias em 2007:

*43 Anos Casa do Poeta Rio-Grandense
*Antologia de 39 Poetas Brasileiros Contemporâneos.
*Antologia Internacional Del Secchio
*Agenda Cultural 2008 Celeiro dos Escritores.

Várias publicações no Jornal Alto Madeira e Rondônia ao Vivo (Porto Velho-RO)
Colunista do Jornal on-line O Rebate (Macaé-RJ), com o intuito de divulgar a cultura.
Membro do SPJ (Sociedade dos Poetas Jandaienses)

Sites onde tem publicações:

Minha Coluna no Jornal O Rebate de Macaé (RJ)

http://orebate-sandradealmeida.blogspot.com/

Site Poetas Del Mundo:
http://www.poetasdelmundo.com/verInfo_america.asp?ID=3296

Site de Salvador ( BA)

www.paralerepensar.com.br/sandrah.htm

Site Rio de Janeiro(RJ)

http://www.cronicascariocas.com/poesias.html

Site Rio de Janeiro(RJ)

http://www.cronicascariocas.com/poesias_sandrah.html

Site Rio de Janeiro (RJ)

http://www.almadepoeta.com/sandraalmeida.htm

http://www.almadepoeta.com/

*Site Recanto das Letras:
http://recantodasletras.uol.com.br/autores/sandrah

*Site Usina das letras:
http://www.usinadaspalavras.com/verautor.php?id_autor=2654

*Revista Sinceridade:

http://groups.google.com/group/revista-eletronica-sinceridade/web/poetravessia?hl=pt-BR

*No Youtube:

http://www.youtube.com/watch?v=fK0OzaWebZo

Trabalhos

Ciclo

Verão,
O mar atrevido
Lança olhares
Lânguidos.

Inverno,
Chocolate, pipoca,
Lareira e você.

Outono,
A natureza restaura,
Germinando a vida.

Primavera,
A terra fala
Linguagem singular

Água…
Aconchego…
Vida
É o ciclo acariciando,
almas!

Sandra Almeida

Não Sou Cecília

Não sou Cecília,
mas caminho,
absorta na multidão,

Solitária.
Desenho meus descaminhos,
e busco,
felicidade!

Escrevo pra provocar.
qualquer
acontecimento.

De repente,
surreal.

Que me surpreenda.
e que ninguém,
se arrependa!

Sandra Almeida

Cheiro de Chuva

Choveram estrelas
cintilantes,
na madrugada.
Acordei
toda molhada.
Cheiro de amor
e de você!

Sandra Almeida

Carícias da Vida

A vida acaricia-me
com mãos macias.
E… alivia-me!

Diz palavras suaves
fala um poema
E… suspira!

Inclina-se sorrindo
e murmurando,
diz… Bom Dia!

Alisando meu rosto,
fala convencida,
de um amor.

Amor, esquecido
no tempo,
acende uma luz.
E… improvisa!

Num foco de luz
num leve balançar
de mãos, retorna.

Com serenidade
explica sobre
o que ela significa,
E… justifica!

Continua,
branda e serena,
passando as mãos
…em mim!

Sandra Almeida
LUA

Lua que enfeita noites
acariciando meus cabelos.

Iluminando a escuridão
de alma e corações!

Ficando a contemplar,
o perfume das flores.

Assistindo marota,
a leveza do pássaro a voar.

Ouvindo o segredo do vento,
escutando a chuva cair.

Plantando sementes,
de poesia.

Versos que brotam sorrindo,
vendo o outono dourar.

Suas folhas soltas
no chão, sobras de estação!

Sente o gemido do inverno
que se vai.

Primavera com elegância,
ocupando seu lugar.

Lua que numa calma noite
de verão, assiste as estrelas.
acariciar-me!

Sandra Almeida