Silvana Nascimento

Sócia Correspondente 1126
Petrópolis – RJ – Brasil

Biografia:

Professora e Tutora presencial do Cederj – Universidade à distância pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Formada em Pedagogia pela Universidade Católica de Petrópolis. Filha do Poeta Sylvio Adalberto, ex-presidente da Academia Brasileira de Poesia.

Trabalhos

Você

à Luiz Paulo Conceição

Foi num dia de sol
Em teu sorriso claro
Que me encontrei em ti
Ainda sinto teu cheiro
E teu abraço
Ah, teu abraço,
Tuas mãos, jeito de porto
Onde me acho
Dona do mundo, assim
Apenas tua
Sem ser dona de nada.

Mundo

O mundo desmorona
Sobre o vazio
Que enche o meu peito
E dói e incomoda
Mas não pára de existir
Estou sendo esmagada
Pelo peso de um mundo
Que não suporto
Mas é o meu mundo
Tão grande
Que transborda
Do meu coração

Punhal

Existe uma dor no peito
E dói, amarguradamente
Por todos os motivos
E por motivo nenhum
Punhal que atravessa o peito
E por cujo corte a vida sai
Posso escrever
Posso gritar
Minha dor não cabe no que escrevo
Nem no meu grito

O grito

Seguro o grito explícito
Que me sobe pelas pernas
E alaga meu peito
O coração
Já não suporta a dor
Essa chama
Que queima e consome
E apaga aos poucos
Lentamente
Essa boca desesperada
Que chora, grita
Tudo dentro de mim.

A solidão

A solidão bate a porta
Sinto falta de você
Do seu abraço
Não sei mais encontrar você
Gostaria
Que houvesse novamente
Um outra vez
Ou será que você morreu em mim
Não sou mais eu, você não é você
Sou diferente hoje
Sou mulher, não mais
A menina acanhada
Hoje, meu pensamento
É nunca mais voltar atrás