Zacarias Martins

Sócio Correspondente 1140
Gurupi – TO – Brasil

Biografia:

Zacarias Martins (Zacarias Gomes Martins ), nasceu em Belém do Pará em 23 de julho de 1957. É filho do casal Aldenor de Figueiredo Martins e Argentina Gomes Martins. Reside em Gurupi, no Estado do Tocantins, desde 1983. Tem publicado seis livros de poesia: Transas do Coração (1978), O Poeta de Belém (1979), Poetar (1980), O Profeta da Felicidade (1984) Vox Versus (1986) e Pinga-Fogo (2004). Em 2008, publicou o seu primeiro livro de crônicas “Histórias da História de Gurupi”. Participa com trabalhos em várias antologias literárias.

Militante no jornalismo, foi editor de Perfil (a primeira revista informativa do Tocantins – 1989) e correspondente de vários jornais, entre os quais, O Progresso (Araguaína – TO), Diário Tocantinense (Palmas – TO), O Jornal (Palmas), Cinco de Outubro (Goiânia-GO). Em Gurupi (TO), foi repórter da revista Perfil e dos jornais Folha do Tocantins, Gazeta Esportiva do Tocantins e A Notícia. É articulista do jornal Cocktail (de Gurupi), tendo participado de sua fundação em 1990 e até hoje mantém a coluna semanal Pinga-Fogo. Também foi editor do jornal Gazeta Araguaia (de Formoso do Araguaia – TO) e Assessor de Comunicação da Prefeitura Municipal de Gurupi. Atualmente é diretor da Regional Sul da Associação Tocantinense de Imprensa, Secretário-Executivo da Associação Tocantinense de Crônistas Esportivos e Assessor de Comunicação do Hospital Regional de Gurupi.

Integrou o primeiro colegiado do Conselho Estadual de Cultura de Tocantins (1989-1990). Em 1989 também participou da fundação da Academia Tocantinense de Letras, onde ocupa a Cadeira de nº 21. Na Associação de Artes de Gurupi, exerceu vários cargos na diretoria, sendo hoje (2008) Secretário-Executivo da Instituição. Também integrou o primeiro colegiado do Conselho Municipal de Cultura de Gurupi, sendo o eleito seu primeiro presidente (1999-2000). Ajudou a fundar a Academia Gurupiense de Letras, da qual é Secretário-Executivo e ocupa a cadeira de nº 12.

Trabalhos

O CASTIGO

Num gesto tresloucado
ousou cometer um verso.
Bem feito:
virou poeta!

O TEU OLHAR

O teu olhar é diferente
dos olhares que o meu já encontrou.
É um olhar muito atraente,
que de repente, me enfeitiçou.

O teu olhar tem mais vida,
mais brilho, beleza e cor.
O teu olhar, minha querida,
confesso, me conquistou.

Não, não sei explicar
o que se passa no teu olhar.
Só sei que me enche de emoção.

E quando estás me olhando
eu vou me controlando,
dizendo: agüenta coração!

CALA-TE BOCA

Tentaram comprar o meu silêncio.

Se minha boca calasse,
falariam por mim os olhos.

Se meus olhos não dissessem nada,
meus atos colocariam a boca no trombone.

Ainda restariam as mãos,
que tentariam um diálogo mudo.

O coração, que bateria mais forte.

O pensamento, que iria mais longe.

A imaginação, que voaria mais alto.

A esperança, que é a última que morre.

E a minha poesia, para falar de amor.
SORRISO MAROTO

À noite,
ficava horas a fio
com aquele sorriso maroto,
mergulhada em seus pensamentos.
Jamais se conformou por ser apenas
uma dentadura num copo d´água!

A FALTA

Você foi embora…

Levou alegrias
e só deixou tristezas.

Levou seus carinhos
E me deixou num vazio.

Levou os paninhos
e me deixou no frio.

Levou seus beijos ardentes
e me deixou batendo os dentes.

Como se tudo isso não bastasse,
quase me mata do coração
quando levou as panelas
e me deixou só o fogão.

Agora,
onde vou encontrar
outra cozinheira igual a você?

SONHÓDROMO

Não me impeçam de viver o meu sonho.
Também tenho o direito de sonhar,
Mesmo que às vezes,
isso incomode muita gente
por causa do barulho.

OPERAÇÃO LIMPEZA

Chove, chove,
chove chuva
e lava aquelas pobres almas
que estão encardidas
de maus pensamentos.

FALANDO DE AMOR

Finalmente apareceste em minha vida.
Foi numa tarde…
E eu,
já tinha perdido as esperanças
de um dia poder te encontrar.
Mas te encontrei.
Por que ao invés de falar de amor
disse palavras supérfluas.
Por que não te falei da gana vulcânica
em que se encontrava meu coração
ao trocarmos de olhares?
Fui covarde, bem sei…
Perdoa-me!
É que eu já havia sofrido tanto por amor
que tinha receio de amar novamente.
Juro, eu não queria te querer.
Eu não queria te amar tanto assim.
Mas uma força oculta foi mais forte do que eu.
E se ontem eu não te falei de amor,
pois bem, eu te falo agora, neste poema:
– Eu te amo!

COM QUE CARA?

Tem gente que não tem jeito.
Precisa urgentemente mudar.
Faz tudo sempre errado
e acha que certo está.

Eu já não sei mais o que fazer
com gente como essa:
suja a nossa cidade
e acha que é legal à beça.

A sujeira já é tamanha
como tamanha é a ignorância.
Você sabia que cidade limpa
É coisa de muita importância?

Colabore com a limpeza
Mostre que tem boa educação.
Olhe só a cara lambida
de quem joga lixo no chão:
PRISIONEIRO DO FUMO

Ele pode não saber…
Mas está numa prisão.
Busca no fumo um prazer
Que leva à desilusão!

Pelo vício aprisionado
O fumante, sem saída,
Será um pobre coitado
Dando fim à própria vida.

Quer livrar-se da prisão
Que o fumo se transformou?
Escute a voz da razão
Que nunca escutou.

Procure a vida saudável;
Busque sempre o certo rumo;
Seja em si mais agradável

O ANIVERSÁRIO

Finalmente chegou
o tão esperado dia
de quem comigo ficou
na tristeza e na alegria.

Isso sim é companheira!
Jamais vi nada igual.
Ela é tão faceira,
– não é brincadeira –
é muito especial.

Ela sempre me entende
e eu a entendo, também.
Ao tocar-lhe suavemente
ela fica comovente
e se sente tão bem.

E hoje,
no seu aniversário
Eu seria um salafrário
Se nada falasse
Para comemorar esse dia.

Parabéns, queridinha.
Você é a minha rainha.
Eu amo tanto você.

Minha doce idolatrada.
Minha eterna enamorada.
Minha máquina de escrever!

LOUCO AMOR

Quando estás perto de mim,
acontecem-me coisas incríveis.
Sinto uma emoção sem fim
e até creio em coisas impossíveis.

O amor se torna pleno.
A vida, um mar de rosas.
E eu me torno sereno
ao fazermos coisas gostosas.

Quando estás perto de mim,
embriago-me no teu sorriso
e mais e mais te quero amar.

Quando estás perto de mim
a vida é um paraíso
e não existe outro lugar.
SEM VOCÊ

Sem você
eu me perco.
Procuro-me, mas não me encontro.
Sigo caminhos tortuosos.
O infinito é o meu destino.

Sem você eu vivo de recordações
que me fazem lembrar saudade;
Que me fazem lembrar angustia;
Que me fazem lembrar solidão;
Que me fazem voltar ao nada.

Sem você
Não existo na alegria.
Não existo na vitória.
Não êxito no amor.
E,
simplesmente, eu deixo de existir!

FELICIDADE

Procura-se a felicidade
para destrancar as portas
dos corações desesperançados.

Procura-se a felicidade
para entregá-la gratuitamente
àquelas pessoas que acreditam
que podem simplesmente comprá-la
a qualquer preço.

Procura-se a felicidade
para adoçar os lábios dos sorrisos amargos
e dar mais sentido a arte de viver.

Procura-se a felicidade
para levá-la principalmente,
para quem não acredita mais na sua existência

Procura-se a felicidade…
Não, não procure mais.
Apenas deixe que ela faça parte de sua vida…
Não fuja dela.
E,
se acaso você não acreditar
que a felicidade existe,
não tem problema:
procure ser feliz sem ela.

A BELA ADORMECIDA

Acorda, ó jovem adormecida!
Deixa penetrar em tua vida
os primeiros raios de sol
que timidamente aparecem.
O novo dia sente a tua falta
e reclama a tua presença
diante da manhã, que de ciúmes padece.
Vejo-te dormindo, sorrindo
em sonhos que vão indo… Vão indo…
Vamos, levanta-te!
O dia está tão lindo!
A natureza te envia flores
e os seus amores.
És tão bela dormindo
que é quase profano te acordar.
Lamento, mas devo chamar-te
para a vida que impassível te espera.
Que bela!
Que bela!
“Quem me dera!…”
(Suspiro eu).

POLIVALENTE

Conserto quase tudo,
mesmo que às vezes
possa provocar
alguns estragos.

Fazer o quê?
Ninguém é perfeito!

CORAÇÃO INCONTROLÁVEL

Mais uma vez estou amando.
o culpado é o meu coração
que alegre vive saltitando
em homenagem à nova emoção.

Cuidado, coração!
Já me fizeste sofredor,
me deixando na mão
amor causa de amor.

Tento te controlar,
mas nem sempre consigo.
E quando me fazes alguém amar
só me querem como amigo.

Não sei se vou suportar
viver nessa ansiedade:
com o coração, fazendo-me amar
quem não me ama de verdade.

RESOLUÇÃO

Hoje,
excepcionalmente hoje,
resolvi me entregar
ao prazer de ser difícil.
Amanhã volto ao normal.
PENDURA

Não sou tão mau
para merecer condenação.
Não sou tão bom
para merecer absolvição.

Sou simplesmente
um poeta que quer se safar,
sem dinheiro nos bolsos
e com uma conta pendurada num bar.
A PROCURA

Procuro um lenço para enxugar as lagrimas do meu coração.
Ninguém me empresta.

Procuro a saudade e encontro muita gente querendo assassiná-la.

Procuro o passado,
mas o presente me prende ao futuro.

Procuro a felicidade.
Esconderam-na para somente mostrá-la em ocasiões muito especiais.

Procuro o grito.
Está abafado!

Procuro a verdadeira liberdade
e a encontro aprisionada a pseudo-moralismos.

Procuro o calor humano
e o encontro “numa fria”.

Procuro a política
e encontro partidos partidos.

Procuro a poesia e encontro o desabafo.

Resolvi então me procurar e chego a conclusão
de que simplesmente estou perdido,
já que não consigo me achar.